Rota dos vinhos do Uruguai

Recentemente tivemos o prazer de ir até o Uruguai para uma aventura enogastronômica a convite da Associação do Turismo dos Vinhos do Uruguai, ligada ao Ministério do Turismo do país. Recebemos o convite para conhecer as principais vinícolas do país, que estão na região de Montevidéu e nesse post vamos descrever como foi a nossa viagem e como são as vinícolas que visitamos. O objetivo do post é mostrar que o Uruguai é sim uma excelente e econômica, opção para os amantes de vinhos do Brasil visitarem.

Partimos da cidade de São Paulo (capital) para Montevidéu, em um voo direto da companhia aérea GOL. Saímos no dia 23 de outubro de 2019, às 10h35 da manhã, em um voo tranquilo com duração aproximada de 2h15. Durante o trajeto a companhia aérea ofereceu serviço de bordo, com sanduíches, sucos, refrigerantes e água, todos gratuitos.

Assim que desembarcamos em Montevidéu, fomos super-bem recepcionadas pela Antonella que trabalha na Associação do Turismo dos Vinhos do Uruguai, que estava nos esperando com uma van que nos levaria às vinícolas por eles selecionadas. Ao todo visitamos 8 vinícolas, o que para mim, uma amante de vinhos incríveis, foi um dos passeios mais excepcionais que fiz.

O Uruguai é dividido em Departamentos – o que seria para nós, Estados – e nos 4 dias que ficaríamos por lá, iríamos visitar vinícolas em 3 Departamentos – Montevidéu, Maldonado e Canelones.

A primeira vinícola que visitamos foi a Varella Zarranz, uma vinícola familiar histórica localizada no Departamento de Canelones. Fomos recepcionadas pela Mariana, proprietária, e pelo Santiago, enólogo. Com boa estrutura, degustamos vinhos rosés, tintos e espumantes, acompanhados de entradas e da tradicional parrilla uruguaia.

De lá, partimos para a segunda vinícola do dia Bodegas Carrau, localizada no Departamento de Montevidéu. Recepcionadas pela Juliana, tivemos uma experiência ímpar: degustamos o famoso tinto Amat diretamente da barrica de carvalho. Além disso, provamos o espumante Dixième, premiado como o melhor espumante uruguaio de 2018.

Simplesmente sensacional!

Já à noite, de volta ao Departamento de Canelones, fomos para a terceira e última vinícola do dia: Pizzorno Winery, fundada em 1910. Recepcionadas pelo Francisco Pizzorno, jantamos uma deliciosa massa e, para nossa surpresa, dormimos na vinícola. A Pizzorno possui acomodações para  receber os turistas que queiram dormir na bodega e a experiência foi maravilhosa. As diárias custam a partir de U$ 90 dólares. Os vinhos da Pizzorno podem ser encontrados no Brasil nas lojas Grand Cru.

No dia seguinte partimos para mais um dia de imersão no mundo dos vinhos uruguaios. Bodega Spinoglio, fomos recepcionadas pelo Diego Spinoglio e sua esposa Alejandra. A bodega é linda, os vinhos extraordinários e a harmonização foi perfeita. Parada obrigatória no tour pelas vinícolas uruguaias.

A quinta vinícola do roteiro foi a Bracco Bosca Winery, localizada também no departamento de Canelones. A proprietária da bodega nos recepcionou, Fabiana Bracco, a Fabi, uma mulher de uma energia e alta astral excepcionais. Uma vinícola cheia de histórias, magia que contadas pela Fabi tornam o passeio ainda mais interessante. Além claro, de possuir vinhos maravilhosos que podem ser encontrados no Brasil pela Cantu Importadora.

Da Bracco Bosca Winery partimos para Punta Del Este, pois as demais vinícolas que iríamos visitar estão localizadas no Departamento de Maldonado.

Uma pausa nas vinícolas para abrir um tópico para o hotel que ficamos hospedadas na cidade de Punta Del Este: The Grand Hotel Punta, um hotel 5 estrelas localizado em frente  a praia brava.

O hotel conta com excelentes quartos, conforto, sofisticação, atendimento perfeito é tudo o que a gente vê por lá. Possui um spa que tivemos a oportunidade de passar a manhã e espaço kids para quem for com criança. Com certeza uma das melhores opções para se hospedar para quem tiver indo para Punta Del Este.

De volta as vinícolas, fomos visitar a Bodega Alto de La Ballena, uma vinícola nova com excelentes vinhos. O destaque para mim ficou por conta de um vinho tinto que é um blend da uva tinta Tannat com a uva branca Viognier. Além disso, a vista de lá é sensacional devido a posição geográfica privilegiada.

De lá partimos para a Bodega Jose Ignacio, uma vinícola moderna, com excelente estrutura e que foi a única que visitamos que também possui produção de azeites. E a degustação de azeites, para mim, foi o ponto alto dessa vinícola, vale conferir!

Na nossa última noite em Punta Del Este, resolvemos curtir um pouco do que a noite uruguaia poderia nos proporcionar e a Antonella nos levou ao PUB Moby Dick Punta que estava reinaugurando para o verão, estação em que Punta Del Este fica lotada de turistas.

No dia da nossa partida, ainda restava a última vinícola para visitarmos e posso dizer que fechamos com chave de ouro. Viñedo de Los Vientos tem como proprietários Pablo e Mariana, uma casal de papo agradável, que nos contou desde a fundação da vinícola a escolha do seu nome e sobre a criação dos rótulos dos vinhos. Na foto acima, Mariana nos mostra o resto das uvas que retornarão para a terra como adubo. “Nós devolvemos a terra aquilo que ela nós dá” disse Mariana.

E, assim, regadas a bons vinhos e a melhor bruschetta, terminamos nosso tour pelas vinícolas uruguaias e posso dizer que foi uma baita experiência descobrir que além da Tannat, uva emblemática do Uruguai, o país ainda produz excelentes vinhos da casta Merlot.

Para os apaixonados por essa bebida milenar, com certeza o Uruguai deve entrar como uma das rotas enoturísticas da América do Sul por ser simplesmente sensacional.

Ama vinhos e quer acompanhar mais o nosso trabalho? Não deixe de seguir o Instagram oficial do Vinhos Incríveis (@vinhosincriveis).

Autor: Graziela Carlucci

Enófila, curiosa e advogada de profissão, uma viajante pelo mundo e quando é possível juntar com o mundo dos vinhos, se torna uma experiência sensacional.

Compartilhe este post em