Dicas do que fazer em Montevidéu, no Uruguai

Ultimamente a cidade de Montevidéu, capital do Uruguai, tem se tornado um dos destinos preferidos dos brasileiros na América Latina e nós estivemos por lá para conhecer um pouco mais da cultura da turística cidade.

SAIBA MAIS

Fundada no ano de 1726, a cidade de Montevidéu cresceu por conta da exportação de produtos para outras regiões da América Latina, especialmente sua vizinha: Buenos Aires. Pouca gente sabe, mas a cidade já chegou a pertencer ao Brasil, durante o reinado de Dom Pedro I, em meados de 1825. A partir da sua independência, ocorrida em 1982, Montevidéu começou a ter grandes avanços econômicos, fazendo com que muitos imigrantes europeus fossem se instalar na capital.

De acordo com o Ministério do Turismo do Uruguai, os primeiros quatro meses de 2017 registraram um aumento de 35% nos turistas brasileiros no país, em relação ao ano passado. Isso tem acontecido pois o país oferece uma grande variedade de atrativos, entre eles a valorização do real frente ao peso uruguaio e a proximidade do país com o sul e sudeste brasileiro. Além disso, para visitar o Uruguai, não é necessário ter passaporte e nem visto, basta um RG atual e bem preservado. Lembre-se que CNH não é válido como documento oficial em viagens internacionais.

A cidade de Montevidéu, que também é a sede administrativa do Mercosul, é a principal porta de entrada de brasileiros no país e é através do Aeroporto Internacional de Carrasco, onde centenas de milhares de turistas chegam anualmente. Estivemos por 5 dias em Montevidéu e vamos contar o que fizemos por lá, onde comer, o que visitar, como é o clima, quanto se gasta, onde se hospedar, entre outros.

CLIMA

Montevidéu possui todas as suas estações do ano muito bem definidas, isso quer dizer que a variação de temperatura entre o verão e o inverno é bem rigorosa, no entanto, a média anual de temperatura é de aproximadamente 17,5ºC. Quanto às chuvas, elas costumam ser mais intensas de outubro à janeiro início de janeiro.

No verão, de dezembro a fevereiro, onde a temperatura média é de cerca de 28ºC, a cidade pode ser muito bem aproveitada, principalmente por conta dos parques e das diversas praias que cercam a orla (rambla) de Montevidéu, além de Punta del Este, claro.

Já no inverno, de meados de junho até outubro, as temperaturas médias são de 7ºC mas em algumas ocasiões chegam a ficar próximas à 0ºC, com ventos fortes e gelados. Inclusive é bastante comum ver pessoas nas ruas bem agasalhadas e acompanhadas de garrafas térmicas com mate, bebida típica uruguaia e do sul do Brasil.

Estivemos em Montevidéu bem no início do inverno, portanto, com muito ventos gelados, mas engana-se, quem acha que não é possível aproveitar a cidade dessa forma. Muito pelo contrário, a cidade de Montevidéu trás um charme e elegância durante o inverno, ideal para viagens românticas regadas à vinho, uma boa comida e passeios incríveis. Mas jamais subestime o frio uruguaio, prepare suas roupas de acordo com o período que pretende viajar e aproveite tudo de melhor que a cidade oferece!

COMO CHEGAR?

Como vivemos em um país continental, a cidade de Montevidéu pode estar bem perto ou bem longe de você, dependendo de onde você morar. Caso resida na região sul do Brasil, ir à Montevidéu pode ser uma aventura para se fazer de carro ou ônibus, inclusive encontramos muitos gaúchos pela cidade durante nossa permanência por lá. No entanto, se você morar no norte ou nordeste, sua viagem pode ser um pouco mais “desafiadora”.

As melhores opções de voo são com as companhias aéreas Azul, Latam e Gol, sendo que há diversas oportunidades de voos diretos, inclusive a Latam anunciou há poucos dias que fará voos diretos de Florianópolis à Montevidéu em 2018 e a Azul com voos diretos de Porto Alegre e São Paulo (Viracopos).

No nosso caso voamos com a Azul, saindo de São Paulo (VCP), fazendo conexão em Porto Alegre (POA) e por fim Montevidéu (MVD). Quem acompanhou nossa viagem pelo Instagram, viu que estávamos bem gripados no dia da viagem e fazer conexões/escalas quando está doente, não é nada legal. Mas enfim, tudo depende do seu aeroporto de origem e da sua flexibilidade. Como o voo da Azul possui uma conexão curta,  se o valor da tarifa estiver legal, vale a pena fazer o voo sim.

Não se esqueça que também é possível fazer o voo com pontos/milhas, através do TudoAzul (Azul), Multiplus (Latam) ou Smiles (Gol). Caso não tenha cadastro, basta acessar os links e se inscrever gratuitamente.

Para encontrar passagens aéreas baratas, acesse o site e o app do Melhores Destinos.

O Aeroporto de chegada em Montevidéu é o Carrasco, que fica em um bairro bem distante (cerca de 25km) do centro da cidade, portanto, é bastante indicado que você faça a reserva de um hotel em um bairro próximo ao centro e não em Carrasco – a não ser que você tenha algum motivo para ficar em Carrasco.

Ao pegar suas bagagens, já vale tentar pegar a conexão gratuita do wi-fi do aeroporto para você programar sua ida até o seu hotel. Ao contrário do que esperávamos, não são todos os uruguaios que estão acostumados a falar inglês, então tivemos uma pequena dificuldade na comunicação, mas nada que o portunhol não resolva.

Fizemos algumas contas e o preço do Uber estava mais em conta que o táxi, então optamos pelo Uber mesmo. Existe também a opção de utilizar o ônibus que leva passageiros até o centro da cidade, mas como estávamos bem gripados, optamos por pagar um pouco mais e ir de Uber direto até o Axsur Design Hotel, na Ciudad Vieja.

Em resumo, a melhor opção para os brasileiros irem à Montevidéu é de avião, mas caso você esteja na região sul do Brasil, considere a possibilidade de fazer a viagem de carro, pode ser bem interessante.

ONDE FICAR?

A cidade de Montevidéu possui diversos bairros importantes e importantes para se visitar, como Ciudad Vieja, Pocitos, Punta Carretas, Buceo, Barrio Sur, Cordón, Punta Gorda e Carrasco – onde fica o Aeroporto de mesmo nome.

O bairro Cidade Velha (Ciudad Vieja) é um dos bairros mais antigos da cidade, com construções, praças e arquiteturas que lembram diretamente os prédios e espaços da Europa. E foi exatamente lá que nos hospedamos, no Axsur Design Hotel.

O Axsur Design Hotel é uma excelente opção de hospedagem principalmente por conta da sua localização, encostada na orla (rambla) de Montevidéu e muito próxima dos melhores restaurantes e locais históricos do bairro. Além disso, o hotel é administrado por uma família uruguaia extremamente simpática e atenciosa, isso faz uma grande diferença para quem está viajando de férias.

A hospedagem inclui um delicioso café da manhã e um ponto positivo bastante relevante é que os quartos oferecem uma pequena cozinha, ideal para quem gosta ou quer preparar algo no próprio quarto. Ainda assim o Axsur Design Hotel também conta com um restaurante no andar térreo, mas que sinceramente não vemos tanta vantagem (explicamos melhor no tópico de “Onde Comer“).

Como estávamos instalados bem na Ciudad Vieja, todas as noites íamos conhecer os restaurantes e cafés do bairro e conhecemos lugares incríveis! Sempre que viajamos para algum lugar, nós fazemos questão de estudar bem o mapa da cidade, um pouco sobre cada um dos bairros e andar a pé, andar muito a pé!

Durante essa viagem, andamos aproximadamente 15 km por dia, assim fomos conhecendo lugares e pontos da cidade que não são tão turísticos mas não deixam de ser encantadores.

No entanto, caso você não queira se hospedar na Ciudad Vieja, há outros excelentes bairros da cidade para se instalar, como Pocitos, bairro recheado de bares, restaurantes e cafés espetaculares. Aproveite e veja esse post do blog Nós no Mundo com diversas opções de bares e restaurantes no bairro.

TAXAS E MOEDAS

Esse tema foi uma das nossas principais dúvidas antes de embarcar rumo ao Uruguai. Qual moeda levar? Dólar, real ou peso uruguaio?

Como tínhamos alguns dólares guardados, levamos um pouco de dólar, um pouco de real e trocamos um pouco de peso uruguaio também, além do cartão de crédito tradicional. Para nossa surpresa o Uruguai possui a política de devolução de alguns impostos à turistas estrangeiros e de uma forma bastante prática. Basicamente, o turista tem a devolução de 18% a 22% dos valores cobrados em serviços prestados quando pagos em cartão de crédito ou débito no país.

Isso é realmente muito bom para nós turistas e no nosso caso, a “devolução” era feita em forma de desconto na própria conta do restaurante, bar, etc.

Mas afinal, qual é  a melhor moeda a se levar para o Uruguai?

Ficamos realmente espantados em ver a quantidade de brasileiros que visitam o Uruguai e isso fez com que muitos estabelecimentos aceitem real como forma de pagamento. No entanto, vale ficar atento à tabela de câmbio no momento da sua viagem e fazer as contas. Caso você tenha alguns dólares guardados, vale a pena fazer o cálculo e ver se está valendo a pena usá-los ao invés de converter seu real para peso uruguaio. Tudo vai depender da cotação do câmbio, que pode variar muito dependendo do período da sua viagem.

ONDE COMER?

Pessoalmente, a parte de comer fora e conhecer novos restaurantes é uma das minhas preferidas das viagens. No entanto, infelizmente, em Montevidéu não é muito barato, e como nossa viagem foi de apenas 5 dias, é claro que não tivemos oportunidade de conhecer todos os lugares, mas vamos listar aqui alguns dos restaurantes que estivemos na cidade.

Na média dos estabelecimentos que estivemos, o valor total da conta para 2 pessoas e incluindo bebidas + sobremesa era de $ 1.400 pesos uruguaios.

Como dissemos anteriormente, ficamos hospedados no Axsur Design Hotel na Ciudad Vieja, e portanto, estávamos bem perto de ótimas opções de restaurantes do bairro, ainda que muitos deles são sejam exatamente muito conhecidos pelos turistas.

Para os viajantes que estiverem indo visitar Montevidéu em setembro, vale ficar atento ao Ciudad Vieja Cocina, um festival gastronômico com variedades gastronômicas no dia 16 na Plaza Zabala, no centro da Ciudad Vieja.

Veja abaixo o mapa de todos os lugares que estivemos durante nossa visita de 5 dias em Montevidéu.

Lucca

O primeiro que fomos conhecer foi o Lucca, um restaurante de entrada discreta, porém, bastante charmoso. Estivemos lá para o nosso primeiro almoço na cidade e a comida nos surpreendeu muito.

O cardápio é composto de massas, carnes, peixes e risotos. É uma ótima opção de refeição para quem estiver hospedado ou passeando pela Ciudad Vieja, independente da hora do dia, pois o restaurante/bar funciona para cafés-da-manhã, almoço e jantar.

Jacinto

Outra opção de restaurante da Ciudad Vieja que gostamos bastante é o Jacinto. Bastante próximo do Lucca e do Axsur Design Hotel, o restaurante oferece um ambiente agradável tanto para casais ou grupos de amigos em happy hour. Como estivemos por lá durante o jantar, parte das mesas estavam decoradas com uma vela acesa, que deixava o local bem aconchegante.

Os pratos do menu do Jacinto são produzidos com influências italianas e espanholas, ou seja, você encontrará peixes, risotos, massas e carnes.

La Cocina de Pedro

O restaurante La Cocina de Pedro é certamente uma das opções que mais poderíamos recomendar em Montevidéu. Além de ser um restaurante muito bonito, amplo e com funcionários extremamente educados, o La Cocina de Pedro  tem a fama de ser um ótimo estabelecimento para quem quiser experimentar a famosa parrilla uruguaia, com diversos tipos de carnes e cortes.

Quando chegamos, confesso que ficamos em dúvida do que comer, justamente por conta da grande variedade de opções. Para que pudéssemos experimentar um pouco de tudo, optamos pelo brasero para 2 pessoas, que inclui chorizo, salsichas, frango, porco, batatas fritas, legumes assados, rim e intestino de boi.

É um prato que serve (muito bem) 2 pessoas e possibilita que você coma um pouco de tudo, é ideal para quem gosta de carnes e está no Uruguai para experimentar a parrilla. O restaurante fica no Barrio Sur e bem próximo da orla (rambla) de Montevidéu.

Dueto Cocina Urbana

O Dueto Cocina Urbana acabamos indo conhecer por recomendação dos funcionários do Axsur Design Hotel e adoramos! O restaurante também fica localizado na Ciudad Vieja e é administrado apenas por um casal, Mercedes e Pablo (chef). Apesar disso, o serviço é bastante eficiente e a comida espetacular.

Provavelmente se passássemos na frente do restaurante não daríamos tanta atenção à ele, mas é uma ótima dica para almoço ou jantar em Montevidéu.

O menu é composto de massas, saladas, sopas, risotos, peixes, frutos do mar e uma mousse de chocolate de sobremesa que é deliciosa! Além disso o Dueto também oferece uma grande variedade de vinhos aos clientes.

Ceibo

A Cantina Ceibo também fica na Ciudad Vieja e é um espaço moderno com diversas opções para refeição, desde cafés até pratos com sobremesas.

Estivemos no Ceibo para fazer o nosso último almoço em Montevidéu antes de embarcar de volta ao Brasil. A comida estava bem servida e fomos muito bem atendidos pelos funcionários do restaurante.

Pedimos dois pratos, um peixe com queijo parmesão e uma panqueca de abóbora (opção vegetariana) e estava muito bom. O restaurante é uma ótima opção para quem estiver de passagem pela Ciudad Vieja.

Fellini Ristobaretto

O restaurante Fellini é uma excelente opção para os viajantes que amam a cozinha italiana e mediterrânea. Localizado no bairro Pocitos, o Fellini possui um menu bastante variado e um ambiente típico das cantinas italianas, incluindo uma grande gama de vinhos.

Experimentamos um risoto de camarão, bem saboroso, acompanhado de um brownie com sorvete e morangos de sobremesa.

Mercado del Porto

O Mercado del Porto, além de ser um ótimo lugar para almoçar ou jantar em Montevidéu, é também um dos principais pontos turísticos da cidade. O Mercado del Porto é ideal para os viajantes que quiserem experimentar a famosa parrillada uruguaia. Infelizmente acabamos não indo comer por lá durante os dias que estivemos em Montevidéu por falta de tempo, mas o Mercado de Puerto fica bem próximo do Axsur Design Hotel.

Como falamos, lá é possível encontrar diversos restaurantes que preparam a famosa parrillada, porém, fique atento ao tamanho das porções e os valores que cobram. Por se tratar de um local bastante turístico, os valores acabam sendo mais altos que em outras regiões, mas ainda assim é uma boa opção para comer em um lugar extremamente tradicional no Uruguai.

Além disso, toda a região do Mercado del Puerto é recheada de pequenas lojas que vendem cafés, doces, alfajores, vinhos entre dezenas de outras opções. Se possível, não deixe de ir conhecer o Mercado del Puerto, mesmo que seja apenas para visitar e ver os uruguaios preparando a parrilla.

O QUE FAZER?

Como falamos no início do post, a cidade de Montevidéu e região é bastante plural e dependendo do período do ano que você estiver por lá, sua viagem pode ser extremamente diferente, o que é bem legal.

Estivemos no inverno, então os ventos fortes e gelados podem castigar um pouco os que não estão acostumados, mas ainda assim é uma viagem maravilhosa para se fazer, principalmente por que Montevidéu está bastante próxima do sul do Brasil.

Nós gostamos bastante do bairro da Ciudad Vieja, onde estávamos hospedados, então acabamos fazendo muitos passeios por essa região. O que foi muito bom, pois além de fazer quase tudo à pé, conhecemos bastante da história da cidade.

Um dos passeios bem legais para se fazer no centro da Ciudad Vieja é visitar a Plaza General Artigas, onde se localiza o Mausoléu do General Artigas, um dos heróis máximos do país que lutou pela independência do Uruguai. Inclusive, o nome do general está por todos os cantos de Montevidéu, como sinal de respeito e agradecimento. A visita ao mausoléu é gratuita.

Caso você tenha facilidade, é possível andar por Montevidéu utilizando o transporte público da cidade. Além de ser barato, vale bastante a pena pois você acaba conhecendo alguns lugares da cidade que não passaria se estivesse num ônibus turístico. Fizemos isso por alguns dias e conseguimos andar por diversos bairros da cidade por um preço bem baixo, vale a dica.

Ainda dentro da Ciudad Vieja, uma outra ótima opção é conhecer o Teatro Solis. Fundado em meados de 1850, o Teatro Solis é um dos principais pontos culturais e turísticos de Montevidéu.

A programação do teatro é bastante diversificada e pode ser conferida diretamente no site oficial do Teatro Solis. Caso você não tenha interesse, tempo ou dinheiro para assistir à uma apresentação, é possível fazer um tour guiado em horários específicos. O valor do tour guiado é de $60 (pesos uruguaios), mas fique de olho, pois em todas as quartas-feiras o tour é gratuito.

Para os que gostam de caminhar e ou correr, a orla (rambla) de Montevidéu é um prato cheio! Com mais de 20 km de extensão, a orla de Montevidéu dá uma vista incrível para as mais de 10 praias uruguaias em um ambiente completamente tranquilo. Inclusive, mesmo no frio, era possível ver alguns uruguaios sentados à beira-mar tomando o mate quente e lendo livros.

Outro passeio que é bastante comum para quem vai para Montevidéu é ir conhecer Colonia del Sacramento.

Colônia del Sacramento é a típica viagem que vale muito a pena fazer e você não se arrependerá. Não se trata de uma cidade, mas sim uma vila que foi disputada por portugueses e espanhóis durante sua história e hoje leva milhares de turistas anualmente para conhecer um pouco mais das suas ruelas e restaurantes fantásticos.

No nosso caso, toda a nossa viagem para Colonia del Sacramento tivemos a ajuda do pessoal do Axsur Design Hotel, que nos ajudou a fazer o passeio com uma empresa local. O passeio conta com um guia, que dá informações sobre a história da cidade, além de alguns pontos na rota até a pequena cidade.

Nós fizemos um bate e volta, ou seja, saímos cedo de Montevidéu e retornamos no início da noite, mas caso tenha oportunidade, pode ser uma ótima opção dormir uma noite em Colonia del Sacramento, a noite por lá deve ser incrível!

O tour custa por volta de R$ 250 reais por pessoa e não inclui refeição. Tente agendar com antecedência a visita até Colonia del Sacramento, assim você não corre o risco de ficar sem vagas na alta temporada.

Outra opção de viagem para quem está em Montevidéu é ir para Punta del Este, mas infelizmente não pudemos fazer essa viagem por conta do mal tempo.

Montevidéu também conta com uma grande variedade parques e praças, como Parque Juan Zorrilla de San Martín, Parque Rodó,  Plaza Juan Pedro Fabini, Plaza Zabala, Plaza Independencia, Parque Rivera, além do Clube de Golfe.

No entanto, confesso que ficamos bastante decepcionados com o estado de conservação dos parques na época que estivemos. Não sabemos dizer se estavam em reforma, mas a impressão que tivemos era que estavam largados, como foi o caso do Parque Rodó.

Durante nossa viagem à Montevidéu ficamos sabendo de uma tradicional feira da cidade, chamada de Tristán Narvaja. Ficamos curiosos para conhecer e fomos até a tradicional rua para ver como é a feira.

A feira acontece em Montevidéu, na Av. 18 de julho com a Av. Tristán Narvaja, há mais de 100 anos durante todos os domingos. E lá os uruguaios vendem de tudo, de tudo mesmo!

No começo estávamos empolgados para conhecer a feira, como seria, o que seria vendido, etc. Mas logo no começo nos surpreendemos com os itens que eram vendidos.

Diferentemente do que estamos acostumados, muitos produtos eram expostos e organizados direto no chão da rua, não são todos os vendedores que possuem barracas ou mesas. Além disso, haviam muitos itens usados, ou seja, produtos que não interessavam mais aos donos, eram colocados à venda na feira, como um bazar mesmo.

É muito legal ver que uma feira tão tradicional de Montevidéu reúne, ainda hoje, um número tão grande de pessoas em um único lugar. Os produtos vendidos variavam entre flores, frutas, cachecol, blusas, luvas, sapatos, bebidas, souvenirs, broches, doces, entre outros. Mas algumas coisas nos deixaram realmente impressionados, como a venda de animais (tartarugas, pássaros, peixes, gatos, cachorros, etc.), claramente sem controle nenhum de higiene ou segurança para os animais.

Apesar de ser uma feira bastante tradicional, é triste ver que animais são vendidos sem nenhuma legalização.

Para os viajantes que gostam de viajar e comprar, que honestamente não é o meu caso, Montevidéu conta com um shopping bastante moderno e repleto de lojas, é o Punta Carretas Shopping, localizado no bairro de mesmo nome.

Em 1915 o espaço, que hoje é o Punta Carretas Shopping, era o principal presídio de Montevidéu. No entanto, apenas em 1994 o local foi recuperado para ser um centro de compras.

É um local legal para se visitar, mesmo para os que não gostam de shopping centers.

Em resumo, a viagem para Montevidéu é uma excelente opção para quem quiser conhecer um destino interessante e próximo do Brasil.

Como puderam ver, não tivemos a oportunidade de conhecer todos os lugares da cidade, mas pretendemos voltar em breve e conhecer outros pontos que não conseguimos visitar. Caso tenha visitado algum lugar que não estivemos ou queira fazer um comentário sobre a cidade, deixe seus comentários abaixo e ajude outros viajantes a conhecer mais e melhor a cidade de Montevidéu.

Autor: Matheus Giácomo

Entusiasta da fotografia e publicitário de profissão, sou um viajante frequente pelo mundo com vontade de desbravar países e continentes a cada nova oportunidade.

Compartilhe este post em