Pantanal: Uma viagem no coração do Brasil

O Pantanal é uma das regiões mais ricas do Brasil e do mundo, não apenas pelo seu tamanho – que abrange mais de 250 mil km² – mas principalmente pela imensa variedade na fauna e flora e um ótimo destino para o Ecoturismo no país. Estivemos no Pantanal Sul-mato-grossense e vamos contar as experiências e dicas de viagem que tivemos no coração do Brasil.

SAIBA MAIS

Embora poucas pessoas saibam, o Pantanal é um dos destinos turísticos do Brasil mais incríveis para quem gosta de natureza e estar em meio aos animais de uma forma segura. Apesar disso, infelizmente, grande parte dos turistas que visitam esse imenso “zoológico a céu aberto” ainda são estrangeiros.

Cerca de 80% do Pantanal está no Mato Grosso (MT) e Mato Grosso do Sul (MS) e está dividida entre grandes terras e fazendas, onde muitas delas oferecem uma excelente infra estrutura e segurança para o turista, com hotéis e pousadas, que inclusive oferecem passeios pantaneiros aos visitantes e o mais importante é a conscientização da preservação ambiental dessa região que foi muito danificada nas últimas décadas pelos pecuaristas.

De acordo com os órgãos federais, no Pantanal há cerca de 230 diferentes espécies de peixes, 650 de aves, 50 de répteis e 80 mamíferos, isso sem contar a imensa variedade de flores, plantas, árvores, etc. Por conta disso, o Pantanal acaba se tornando um destino fantástico para os amantes da fotografia e de estar em contato com a natureza.

Hoje em dia a pesca é o principal atrativo de brasileiros para a região. No entanto, o objetivo desse post é mostrar que o Pantanal é uma ótima opção de viagem para casais, famílias com crianças ou até mesmo adultos que tenham interesse em saber mais dessa rica área brasileira.

COMO IR e ONDE FICAR?

Quando estávamos planejando nossa viagem para o Pantanal, certamente a nossa maior dúvida era sobre onde se hospedar. Como dissemos, a região do Pantanal é imensa e abrange dois grandes estados do país. Então para onde ir? Qual lugar pode oferecer exatamente aquilo que queríamos, fotografia e contato direto com a natureza?

Depois de muita pesquisa na internet, descobrimos a Pousada Aguapé, localizada a quase 200km de Campo Grande/MS. Nesse caso, estaríamos indo para a o Mato Grosso do Sul, sendo assim, pegamos um voo de Viracopos (VCP) para Campo Grande (CGR), onde alugaríamos um carro e iríamos direto até a Pousada Aguapé.

O caminho de Campo Grande até Aquidauana é bem tranquilo e por uma rodovia bem sinalizada. Fizemos essa rota em aproximadamente 1 horas.

Assim que chegamos em Aquidauana, paramos em um pequeno restaurante para descansar um pouco e aproveitamos para experimentar a chipa, um biscoito – muito parecido com o pão de queijo – tradicional no Paraguai e que também pode ser encontrado nessa região.

Depois do pequeno lanche com um café, partimos em direção à pousada. Esse segundo trecho da viagem é um pouco mais “chato”, pois são 60 km de estrada de terra. O que nos deixou bem aliviados é que mesmo sendo de terra batida o trecho todo é bem sinalizado e ótimo para tirar algumas fotografias pelo caminho.

O que mais nos chamou atenção para escolher ficar hospedados na Pousada Aguapé foi justamente o fato de que poderíamos fazer todas as atividades dentro da própria fazenda, o que nos pouparia muito tempo e facilitaria os passeios. Outro ponto que achamos positivo é que a Pousada Aguapé fica no coração do Pantanal, ou seja, estaríamos realmente imersos na natureza.

Além disso, a Pousada Aguapé também oferece todas as refeições para os hóspedes (incluída na diária, exceto bebidas): café da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar.

Antes de escolhermos a pousada que ficaríamos, demos uma pesquisada também no tipo de acomodação que a Pousada Aguapé oferecia, afinal, não estávamos interessados em dormir com os pernilongos e insetos ao lado da cama. E é nesse quesito que a Aguapé levou vantagem, pois mesmo sendo uma estrutura praticamente dentro do Pantanal e às margens do Rio Aquidauana, os quartos eram muito bem limpos e contavam com ar-condicionado em todas as unidades (acreditem, na primavera/verão/outono o calor no Pantanal é surreal!).

Pousada Aguapé conta com 15 quartos, cada quarto com o nome de um animal da fauna pantaneira, com capacidade de 1 até 4 pessoas por unidade, sendo que um dos quartos é adaptado para cadeirantes. Além disso, a Pousada também conta com uma piscina para todos os hóspedes, item de necessidade básica nos dias de calor no Pantanal.

Outro ponto bastante positivo da pousada é que tivemos a oportunidade de estar frente à frente com animais da nossa fauna como se fossem bichos de estimação, sem o contato físico, claro. Todos os dias nós tomávamos café-da-manhã ao redor de tatus, tucanos, araras, pica-pau, maritacas, bem-te-vis, entre inúmeras outras aves.

O QUE FAZER?

Uma das maiores vantagens do Pantanal é a quantidade de atividades que se pode fazer enquanto estiver na região. Por outro lado, você deve estar disposto a fazer coisas que não está acostumado, caso viva em algum centro urbano, como os infernais pernilongos. Pode parecer exagero mas não é, os pernilongos dessa região são incrivelmente perturbadores e chegam a te picar até mesmo por cima da calça jeans, mas nada que um bom repelente não resolva.

Para ficar livre desses insetos durante os passeios, abuse do repelente mesmo quando for usar roupas compridas. Falaremos mais abaixo sobre os itens essenciais para se levar numa viagem ao Pantanal.

Pousada Aguapé oferece os seguintes passeios aos seus hóspedes:

  • Passeio à cavalo pelas campinas pantaneiras
  • Manejo de Gado
  • Passeio de charrete
  • Passeio de  barco pelo Rio Aquidauana
  • Caminhada
  • Safari fotográfico
  • Focagem noturna
  • Pesca esportiva de piranhas
  • Voo panorâmico de avião sobre o Pantanal

O passeio à cavalo é uma das atividades mais procuradas pelos hóspedes, isso por que é possível andar por uma grande região sem que você se canse tanto. Os cavalos são preparados para essa atividade e esse passeio é feito lentamente, ou seja, os cavalos não ficam exaustos.

Enquanto estivemos na Pousada Aguapé, vimos diversas pessoas fazendo o passeio à cavalo, desde crianças (acima de 6 anos) até idosos.

Dependendo de como estiver as campinas pantaneiras e a trilha a ser realizada, o passeio pode levar até 3 horas. Embora pareça muito, o tempo durante o passeio passa bastante devagar pois os monitores dão explicações sobre a área explorada. E pode ficar tranquilo, todos os cavalos são bem mansos e tranquilos.

Como a recomendação é que o passeio seja feito pela manhã, o calor e o sol podem estar fortes, então não esqueça o chapéu/boné, protetor solar e abuse do repelente. Os monitores da pousada ficam encarregados de levar uma bolsa com água gelada durante os passeios para os hóspedes.

O que mais chamou atenção nesse passeio foi a possibilidade de conhecer e explorar uma área, que até então eu desconhecia, e ficar tão próximo de animais como o jacaré da foto abaixo.

O passeio de barco pelo Rio Aquidauana era um dos mais aguardados por mim, justamente pela expectativa de poder encontrar uma grande variedade de animais, tanto na água, como na terra ou nos galhos das árvores que margeiam o rio.

Saímos para conhecer o Rio Aquidauana por volta das 16h00 horas, então pegaríamos o pôr-do-sol pantaneiro durante o passeio, pois a atividade leva cerca de 2h a 2h30.

Apesar do barco ser bastante simples, ele suporta até 6 pessoas e tem autonomia para navegar por algumas horas nesse tipo de situação, porém, exige bastante experiência e atenção do piloteiro, afinal os rios escondem galhos, troncos e pedras que podem causar acidentes sérios.

Vale lembrar que não é permitido pescar durante o período desse passeio, mas é possível agendar um horário com a pousada para tal atividade na região.

Durante todo o passeio é preciso ficar atento aos sons dos animais, que podem estar tanto às margens do rio quanto na copa das imensas árvores. Com a ajuda do guia é possível encontrar araras, bugios, tucanos, diversas aves, pássaros e alguns mamíferos. Não deixe de levar protetor solar, chapéu e repelente.

E na volta do passeio, tivemos a oportunidade de encontrar um casal de araras-azuis ao pôr-do-sol na entrada da Pousada Aguapé.

Outra atividade bem interessante para quem está no Pantanal é a caminhada monitorada pela região. Apesar do Pantanal ser habitat de animais como a onça-pintada, jacarés e cobras, o passeio com um guia é bastante seguro, que além de ajudar numa possível situação de perigo, passa informações da fauna e flora.

O passeio pode levar de 1h até 4h, isso vai depender do grupo e da trilha a ser feita, mas de qualquer forma é indicado para todos os tipos de hóspedes, de crianças até idosos, desde que consigam praticar a caminhada de forma segura.

A vantagem de se fazer a caminhada é poder estar realmente bem próximo dos animais ícones do Pantanal, como jacarés, tamanduás, tuiuiús, vacas, tucanos e etc.

Outra possibilidade de atividade pelo Pantanal é a focagem noturna com jeep e é realmente imperdível. Poucas pessoas sabem, mas nesse ambiente é no cair da noite que os animais estão mais ativos, e portanto, a possibilidade de vê-los é maior. A focagem noturna acontece todas as noites, desde que não esteja chovendo, e tem duração média de 1h.

O céu estrelado dessa região é, sem dúvida, um dos pontos altos desse passeio. Como a maior cidade da região é Campo Grande e fica a aproximadamente 150 km da pousada, a incidência de luz urbana é bastante baixa, isso quer dizer que o avistamento das estrelas é espetacular, especialmente para quem mora em grandes cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Fortaleza, etc.

Para esse passeio é imprescindível levar uma lanterna, para ajudar o guia a encontrar animais nos topos das árvores e no horizonte, além de muito repelente, claro!

Os viajantes que gostam de pescaria, confesso que não é o meu caso, podem aproveitar o Pantanal para fazer pesca esportiva. Como falamos no início do post, a pesca é hoje um dos principais atrativos de turistas para a região do Pantanal, mas a Pousada Aguapé oferece a pesca esportiva de piranhas para os hóspedes que quiserem se divertir por cerca de 1h30.

A pesca é bastante tranquila e pode ser feito por crianças, sem problema nenhum (desde que tenham paciência, claro).

Já falamos de quase todas as atividades que realizamos no Pantanal, mas o que mais gostamos e que nem sabíamos que a pousada oferecia, é o voo panorâmico de avião pelo Pantanal.

Sejamos sinceros, não dá pra dizer que é um passeio barato, mas é uma oportunidade única para conhecer essa fantástica região brasileira vista de outro ângulo. Como disse, só soubemos que a Pousada Aguapé oferecia essa atividade quando chegamos e ficamos empolgados para logo fazer.

O valor do passeio de 30 minutos, tempo suficiente para você se encantar e fazer umas fotos, é de R$ 750 e que pode ser dividido entre até 3 pessoas.

O avião que fica disponível na Pousada Aguapé é o Cessna 175, avião com capacidade para 4 pessoas e que tem uma autonomia e versatilidade bastante boa. Isso quer dizer que, com um piloto experiente, é perfeitamente possível decolar e pousar em terrenos mais acidentados como o do Pantanal.

Para facilitar nossa vida, pedimos ao piloto que tirasse a porta do lado do passageiro na aeronave, assim conseguimos ver e sentir ainda mais a adrenalina do voo. Isso é possível e autorizado, desde que o passageiro permaneça no assento e com o cinto afivelado.

Esse tipo de voo é bem interessante para adultos e até mesmo para crianças e adolescentes, que podem aprender de uma forma bastante prática, um pouco mais da geografia e os diferentes tipos de vegetação que temos nessa região do país, que varia de acordo com as temporadas de chuva.

Sem dúvida esse foi o passeio mais legal que fizemos no Pantanal e sempre que vemos as fotos temos vontade de voltar e curtir um pouco mais dessa linda região brasileira.

O QUE LEVAR?

Esse é um dos principais pontos para se preparar antes de ir ao Pantanal!

Como falamos, você estará imerso na natureza, ou seja, pequenos insetos ou répteis serão seus companheiros por um bom tempo.

Para isso, listamos alguns itens essenciais para você levar:

  • Boné ou chapéu
  • Roupas leves e confortáveis
  • Agasalho pesado (principalmente entre maio e setembro)
  • Repelente (não economize!)
  • Lanternas
  • Protetor Solar
  • 2 pares de sapatos
  • Capas de Chuva
  • 2 ou 3 calças jeans
  • 2 ou 3 bermudas com bolsos
  • Óculos de sol
  • Binóculos
  • Remédios de uso contínuo ou frequente
  • Livros

Vale ressaltar que é muito importante que você questione ao pessoal da sua pousada ou hotel se eles indicam alguma outra lista de itens, ele pode ser complementar à nossa. E nunca se esqueça, para esse tipo de viagem é melhor prevenir do que remediar, esquecer um item desses no meio da natureza pode ser cruel.

QUANDO IR?

Como falamos, toda a região do Pantanal é muito rica em sua vegetação e muito se deve ao fato de ter grandes rios que cortam todo esse espaço, como o Rio Aquidauana, Rio Paraguai, Rio Paraguai-Mirim, Rio Vermelho, Rio Salobra, Rio Taboco, Rio Taquari, entre outros. Mas além disso, a região possui épocas de cheias e de secas, e isso é fator determinante para você decidir quando ir pra lá.

Em geral o Pantanal é um ambiente bastante úmido, mesmo durante as secas, isso por que os rios e raízes mantém a água das grandes chuvas do início do ano, janeiro, fevereiro e março, época das grandes cheias. No final do mês de abril as águas já estão abaixando, o que já é considerado o início da vazante. É nesse período que os visitantes conseguem encontrar mais aves, répteis e jacarés.

Nos meses de agosto e setembro os rios já estão bem secos e as chuvas são bem escassas,o que é muito bom para a prática da pesca esportiva. Além disso, é um ótimo período para observação de pássaros, aves, entre outros animais típicos da região.

Já no final do ano, entre os meses de outubro, novembro e dezembro, espere por muito calor e clima seco no Pantanal. As vegetações estão bastante secas, assim como os rios de toda a região.

CONCLUSÃO

O Pantanal é, sem dúvida, um dos lugares mais incríveis para se visitar no Brasil, porém e infelizmente, poucas pessoas têm interesse em visitar. Acredito que isso aconteça pelo falta de pouco conhecimento da região, muitos ainda acreditam que o Pantanal é destino somente para quem gosta de pescar, e como foi possível ver ao longo deste post, isso não é verdade.

Há sim muitas estruturas excelentes para atender turistas no Pantanal e que pode ser explorada por pessoas de todas as faixas etárias. Por incrível que pareça, hoje a maior fatia dos turistas no Pantanal são estrangeiros, vindos da Holanda, Alemanha e Estados Unidos.

Imagino que se chegou até o final desse post é por que tem interesse em animais, natureza ou no turismo brasileiro. Quem sabe sua próxima viagem de férias ou num feriado prolongado não seja pelo Pantanal?

Autor: Matheus Giácomo

Entusiasta da fotografia e publicitário de profissão, sou um viajante frequente pelo mundo com vontade de desbravar países e continentes a cada nova oportunidade.

Compartilhe este post em